29 de março de 2013

ATIVIDADES DE ENSINO

ATIVIDADES DE ENSINO
PROGRAMA SALAS DE APOIO À APRENDIZAGEM
ATIVIDADES DE ORTOGRAFIA

ATIVIDADE 1
A casa
Era uma casa
Muito engraçada
Não tinha teto
Não tinha nada
Ninguém podia
Entrar nela não
Porque na casa
Não tinha chão
Ninguém podia
Dormir na rede
Porque na casa
Não tinha parede
Ninguém podia
Fazer pipi
Porque penico
Não tinha ali
Mas era feita
Com muito esmero
Na Rua dos Bobos
Numero Zero
Vinicius de Moraes


O professor, após selecionar no poema “a casa” as palavras casa e zero, ira trabalhar o fonema /z/, através da percepção do aluno que as duas palavras são escritas com letras distintas (s e z), porem tem o mesmo fonema. Após essa reflexão propor a montagem de um painel com duas colunas que tenham palavras recortadas de jornais e revistas com a mesma grafia e fonema.


ATIVIDADE 2

A CIGARRA E A FORMIGA
Era uma vez uma cigarra que vivia saltitando e cantando pelo bosque, sem se preocupar com o futuro. Esbarrando numa formiguinha, que carregava uma folha pesada,perguntou:
- Ei, formiguinha, para que todo esse trabalho? O verão é para se aproveitar! O verão é para se divertir!
- Não, não, não! Nós, formigas, não temos tempo para diversão. É preciso trabalhar agora para guardar comida para o inverno.
Durante o verão, a cigarra continuou se divertindo e passeando por todo o bosque e quando tinha fome, era só pegar uma folha e comer.
Um belo dia passou de novo perto da formiguinha carregando outra pesada folha.
A cigarra então aconselhou:
- Deixa esse trabalho para as outras! Vamos nos divertir. Vamos, formiguinha, vamos cantar! Vamos dançar!
A formiguinha gostou da sugestão. Ela resolveu ver a vida que a cigarra levava e 2 ficou encantada. Resolveu viver também como sua amiga.
Mas, no dia seguinte, apareceu a rainha do formigueiro e, ao vê-la se divertindo, olhou feio para ela e ordenou que voltasse ao trabalho. Tinha terminado a vidinha boa.
A rainha das formigas falou então para a cigarra:
- Se não mudar de vida, no inverno você há de se arrepender, cigarra! Vai passar fome e frio.
A cigarra nem ligou, fez uma reverência para rainha e comentou:
- Hum!! O inverno ainda está longe, querida!
Para a cigarra, o que importava era aproveitar a vida, e aproveitar o hoje, sem pensar no amanhã. Para que construir um abrigo? Para que armazenar alimento? Pura perda de tempo!
Certo dia o inverno chegou, e a cigarra começou a tiritar de frio. Sentia seu corpo gelado e não tinha o que comer. Desesperada, foi bater na casa da formiga.
Abrindo a porta, a formiga viu na sua frente a cigarra quase morta de frio.
Puxou-a para dentro, agasalhou-a e deu-lhe uma sopa bem quente e deliciosa.
Naquela hora, apareceu a rainha das formigas que disse à cigarra:
- No mundo das formigas, todos trabalham e se você quiser ficar conosco, cumpra o seu dever: toque e cante para nós.
Para a cigarra e para as formigas, aquele foi o inverno mais feliz das suas vidas.
(Fonte: http://www.qdivertido.com.br/verconto.php?codigo=9. Acesso em maio/2009)

1. Observe que as falas da formiga geralmente vêm acompanhas de ponto de exclamação. O que isso significa?
2. Releia o penúltimo parágrafo do texto. Qual a função dos dois pontos nesse trecho?
3. Observe as palavras a seguir, retiradas do texto: vez, que, e, sem, não. Essas palavras possuem uma única sílaba. Copie outras palavras do texto que possuam apenas uma sílaba.
4. Observe como ocorre a separação silábica das palavras a seguir:

ESBARRANDO: ES-BAR-RAN-DO
CARREGAVA: CAR-RE-GA-VA
Quando temos RR, na separação silábica essas letras separam-se. Agora, separe
em sílabas as palavras a seguir:
CIGARRA:_____________
ARREPENDER:_______________
O mesmo acontece quando temos SS. Observando isso, separe as palavras a
seguir:
ESSE:___________
PASSEANDO:________________

ATIVIDADE 3
ORTOGRAFIA APLICADA: sons do x
1.Leia em voz alta as seguintes palavras: xícaras, exigente, máximo, oxigênio, extrato.
a) O que você notou sobre o som do x?
b) Em qual das palavras acima o x tem som de ch?
c)Em qual delas o x tem som de ss?
d) Qual o som do x na palavra exigente?
e) Em qual das palavras o x tem som de cs?

ATIVIDADE 4
Miados
O seu miado alvoroçado,
Meu gato Marquês
Traz um alto recado
Muito almejado,
Mas danado de se alcançar.
Não sei se é malvado,
Se é falso o seu miado,
às vezes tão alterado,
Meu gato Marquês.
Só sei que meu alvoroçado
É penetrar em sua alma,
Ó meu felino cor de algodão,
Sempre dormindo
Nas almofadas de feltro
Lá no alçapão.
Será um miado de amor?
Será de alegria ou dor?
Será de saudade da amada?
Será só maldade danada?
Tenho medo, muito medo
Do segredo guardado
No seu miado alternado
Que parece até bem calculado.
Porém seu miado
Algo de bom m faz,
Quando, às voltas e reviravoltas
Na relva acolchoada de verde
Você se volta,
Então só calma me traz.


Depois de ler um texto adaptado de Elias José, procure no caça-palavras os vocábulos com as sílabas AL – EL- IL-OL-UL.
A A L V O R O Ç A D O C C N
A A L T O P P V O L T A S M
X T P A L M E J A D O L O Q
A A L C A N Ç A D O A C L S
M A L V A D O L D D A U T C
F A L S O T T Ç P S L L A A
A A L T E R A D O X Ç A X L
A T D L M Q Q P L V A D X G
A A L M A T P Ã S A P O X O
A T D S U V X O T L Ã B T D
A L M O F A D A A V O N P Ã
F E L T R O D L N O O Q R O

ATIVIDADE 5
Jogo: Morto Vivo (troca de letras)
Material: Tiras pequenas com palavras.
Preparação: Crianças dispostas em fileira. Cada criança recebe uma palavra referente a alguma questão de ortografia (f/v, p/b, m/n, t/d). Neste exemplo usaremos as palavras vaca e faca.
Como se joga: Cada criança lê a sua palavra mas não conta para o colega. A professora dará a seguinte voz de comando: Quem tem a palavra que se encaixa na frase ficará em pé (vivo).
“ A .................. da fazenda da minha vó deu cria.”
As crianças mostram as palavras que tem. Quem ficou em pé com a palavra “faca” sai do jogo e quem abaixou com a palavra “vaca” também.
O jogo segue com novas frases e palavras até que sobre um só jogador.
Obs1.: A cada nova frase a voz de comando poderá ser mudada, passando a abaixar-se (morto) a pessoa que está com a palavra adequada.
Obs2.: Esse jogo tem por finalidade trabalhar questões ortográficas referente às trocas entre consoantes surdas e sonoras. (f/v, t/d, p/b, m/n).
Após a brincadeira poderão ser feitos alguns questionamentos como:
1. Por que nos confundimos?
2. Quais são as letras que têm sons parecidos?
Falar sobre as vibrações ou não das cordas vocais.


ATIVIDADE 6
RESPONDA AS PERGUNTAS:
1- Uso para me enxugar (6 letras)
2- Se ganha em campeonatos esportivos (7 letras)
3- Reflete nossa imagem (7 letras)
4- Nos dá o mel (6 letras)
5- Usamos para costurar (6 letras)
6- Cobre a casa (7 letras)
7- Assusta os pássaros na horta (10 letras)
8- Faz parte da árvore (5 letras)
9- Se faz com água e sabão (5 letras)
10-Onde coloco a joelheira (6 letras)

ATIVIDADE 7
Leia com atenção o texto a seguir:
IRACEMA MEDROSA
-Iracema é uma medrosa!...
-Iracema é uma medrosa!...
-Iracema é uma medrosa!...
A gente ficava em bando, voando à sua volta e gritando sempre:
- Iracema é uma medrosa!...
Seus olhinhos castanhos se enchiam d'água.
- Não façam assim _ murmurava.
A gente pousava na rama e comentava:
- Ora, Iracema, o que é que tem? Vamos até lá. A gente fica pendurado nos fios
elétricos e é uma delícia. Balança-se que não se acaba mais. Pra lá... pra cá...
- Não. Não. Eu não vou. Tenho medo. Vocês nunca deviam ir. Nunca deviam sair da
floresta.
- Bobagens! Que é que tem?
-Tem sim. E se vocês encontram um alçapão?_ indagava Iracema nervosa._E se tem
uma gaiola?
- Gaiola?_ perguntei espantado. _Que é isso? Mamãe nunca falou pra gente sobre
gaiola.
- É porque vocês são crianças.
- Então, Iracema, fale. Conte para a gente o que é gaiola.
Iracema arrepiou-se e sua vozinha saiu trêmula.
- Gaiola é uma coisa horrível. Uma coisa muito feia. Uma floresta de árvores fininhas,
amarradas por um cipó chamado arame. Tem uma porta. Botam a gente lá dentro, e
pronto. Nunca mais se sai de lá.
- Ah! Isso não existe. Você está imaginando coisas. Vamos balançar nos fios.
Ela torceu nervosamente as pontas das asas.
- Vocês me desculpem, mas eu não vou.
Dizendo isso, levantou voo e fugiu para o coração da mata que nesse momento era
quente e acolhedor. A gente ficou caçoando dela aos berros.
- Iracema é uma medrosa!... _Iracema é uma medrosa!...
Como ficou longe aquele vozerio:
- Iracema é uma medrosa.
Agora meus olhos se enchem d'água e eu vejo a gaiola em volta do meu corpo moço.
Iracema tinha razão: A gaiola é uma coisa horrível! Já não tenho vontade de me mover.
Nem sei mesmo se me acostumei em dar pulos de um poleiro para outro. Tudo tão triste.
Triste. Triste.
- Rapaz, que tristeza é essa?_ perguntava da outra gaiola, seu Pedro, um velho tiêsangue.
- Isso passa. No começo é sempre assim. Daqui a pouco você começará a
cantar e cantando a vida fica bonita até dentro de uma gaiola.
- Não. Eu nunca cantarei. Eu nunca cantarei.
E me lembrava de Iracema que jamais passaria por tudo que eu já passara. Iracema
teria ninhadas e ninhadas de filhotes e continuaria com medo, mas vivendo livre dentro da
mata.  José Mauro de Vasconcelos

Sugestões de atividades para trabalho com a ortografia:
*Após a leitura e interpretação oral e escrita do texto foram desenvolvidas algumas atividades de ortografia para trabalhar o uso da letra C e Ç tendo em vista que muitos alunos usam a cedilha em palavras como ”VOÇÊ, AÇIDENTE, NASÇER.
* Reler trechos do texto nos quais aparecem palavras com a letra C e analisar coletivamente Ao escrever certas palavras, as vezes temos dúvidas quanto ao uso adequado de determinadas letras, isso ocorre porque na língua portuguesa há diferenças entre a fala ( sons ) e a escrita (representação gráfica dos sons).
Conheça uma letra de música do cantor e compositor Luiz Gonzaga Júnior, o Gonzaguinha. Leia e complete os espaços com c, ss, s ou sç.

Sementes do amanhã
Ontem, o menino
Que brincava me falou
Que hoje é __emente do amanhã
Para não ter medo
Que este tempo vai pa__ar
Não se desespere, não
Nem pare de __onhar
Nunca se entregue
Na__a __empre com as manhãs
Deixe a luz do __ol brilhar
No __éu do __eu olhar
Fé na vida,
Fé no homem,
Fé no que virá
Nós podemos tudo
Nós podemos mais
Vamos lá fazer o que __erá!os sons apresentados por ela como em “castanhos, Iracema e crianças”.

* Localizar no texto as palavras que tem o C com som de /s/.
*Questionar quando usamos a cedilha e perceber que ela é colocada sob a letra C antes de A, O, U, para indicar quando tem o som do fonema /s/.
* Junto com os alunos escrever palavras que eles conheçam que possuem as seguintes sílabas. Quando houver dúvidas consultar um dicionário. As palavras podem ser pesquisadas em jornais, livros e revistas.
CA CU CO CE CI ÇA ÇU ÇO
9
* Ditado de palavras apresentadas no texto como:
Façam, delícia, vocês, crianças, alçapão, cipó, balançar, torceu, coração, caçoando,moço, começo, começará, Iracema .
* Depois do ditado os alunos procuram as palavras no texto e sublinham-nas para fazerem a correção. Em seguida, fazem o ditado para o professor escrever as palavras no quadro e para que eles possam conferir a sua escrita. Caso preferir, o professor poderá fazer a conferência dos acertos pedindo que o aluno atribua um ponto a cada palavra que ele acertou. No final do ditado o próprio aluno conta quantos pontos fez, não com o objetivo de competir com um colega, mas com o de ele mesmo avaliar sua escrita, observando-a e analisando os avanços a cada ditado.
Obs. Para atribuir pontuação à palavra, o aluno deve ler com atenção o que escreveu; a falta disso, muitas vezes, justifica muitas dificuldades apresentadas na escrita.
Obs.: O professor, se preferir, poderá fazer o ditado da frase onde está a palavra que pretende analisar com os alunos.

ATIVIDADE 8
Leia o texto a seguir e responda as questões:
A chácara do Chico Bolacha
Na chácara do Chico Bolacha
o que se procura
nunca se acha.
Quando chove muito
O Chico brinca de barco,
porque a chácara vira charco.
Quando não chove nada,
Chico trabalha com a enxada
e logo se machuca
e fica de mão inchada.
Por isso, com o Chico Bolacha,
o que se procura
nunca se acha.
Dizem que a chácara do Chico
só tem mesmo chuchu
e um cachorrinho coxo
que se chama Caxambú.
Outras coisas, ninguém procura,
porque não acha.
Coitado do Chico Bolacha. (Cecília Meireles. Ou isto ou aquilo. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1990.)

1) No texto existem várias palavras escritas com X e CH. Observe que apesar de serem letras diferentes, na hora da leitura, elas possuem o mesmo som. Sendo assim, escolha no texto três palavras nas quais acontece essa mesma situação e compete o quadro abaixo.
X CH
2) A letra maiúscula é utilizada para expressar nomes próprios ou no inicio de frases.
Retire do texto 3 situações em que a letra maiúscula foi empregada e explique porque ela foi utilizada.
1-___________________________________________________________________
2-___________________________________________________________________
3-___________________________________________________________________

3) Leia as palavras retiradas do texto:
BARCO
CACHORRINHO
TRABALHA
POR

Agora escreva outras palavras grafadas com a letra R, separando-as conforme o que se pede no quadro abaixo.
R no final da sílaba RR R acompanhado de uma consoante R no final da palavra
4) Releia as palavras retiradas do texto: quando, enxada, inchada e nunca. Observe que todas as palavras são grafadas com N no final da sílaba. Vamos realizar o Jogo do Stop utilizando casos semelhantes.
FRUTA CARRO CIDADE PESSOA BRINQUEDO ROUPA
5) CAXAMBU é o nome do cachorrinho do Chico Bolacha. Diferentemente das palavras do exercício anterior, Caxambu está escrito com M ao invés de N.
Explique porque isso acontece e pesquise em jornais e revistas outras palavras que acontece a mesma situação para que seja montado um mural em sala de aula.

ATIVIDADE 9
Emprego do “S” e do “Z”
1- Leia o seguinte e-mail.

Marcelo,
Eu odeio essa MANIA de você consertar meu Português. Tá bom, eu sei que escrevi que meu sanduíche estava “gostoso” com Z, mas precisava pegar tanto no meu pé?????!!!!!

Dudu.

2- Pegaram no pé do Dudu porque ele escreveu gostoso com z.
a) Por que foi possível trocar a letra “s” pela “z’ nessa palavra?
b) Que outras palavras escritas com s apresentam o mesmo som z ? Escreva cinco em seu caderno.
A letra s entre vogais tem o mesmo som que a letra z.
3- Reescreva as frases a seguir substituindo cada ............ pela palavra indicada nos parênteses, acrescida de oso ou osa, conforme o caso. Faça as adaptações necessárias.

a) Mamãe é muito.............. (carinho).
b) Dudu é um menino muito............... (dengo).
c) Detesto pessoas ............... (mentira).
d) Marcelo é muito ................ (cuidado).
13
Os adjetivos terminados em oso / osa são escritos com s.
4- Ajude o Marcelo a responder à mensagem do Dudu. Copie o e-mail substituindo as palavras dos colchetes de acordo com a regra acima.
Dudu,
Você é um grande amigo, por isso pego no seu pé. Eu sei que você é [gula] e que o sanduíche estava muito [gosto] e [apetite], mas não quero ser [veneno]. É melhor começar a escrever certo.
Do seu [fama] amigo!!!!!!!!!
Marcelo.
5- Copie as palavras a seguir no caderno e acrescente outras duas da mesma família de cada uma delas.
Análise – casa – cruz – azar – aviso – pesquisa – juiz – azedo.
Escrevem-se com s ou com z as palavras derivadas de outras que já possuem a letra sou z, respectivamente, em sua grafia.
6- Copie as palavras a seguir no caderno, completando-as adequadamente com s ou z.
a) lapi......eira – cicatri.....ar – despre.......ível
b) fal........ário - co........inheiro - anali.........ar
7- Pegue um dicionário e certifique-se de que escreveu corretamente as palavras do item anterior. Depois escreva mais duas palavras da mesma família de cada uma delas.
8- Recorte, de jornais e revistas, 15 (quinze) palavras escritas com s ou com z que estejam de acordo com as regras aprendidas nesta aula. Cole-as em seu caderno e dê um título a cada grupo.

ATIVIDADE 10
Encaminhamento Metodológico
Leitura de algumas regras ortográficas relacionadas ao uso do fonema /S/, ampliação dos exemplos, de acordo com cada regra, através de pesquisas em revistas e colagem na folha específica.
Ortografia - Fonema /S/
Qual letra usar na hora de escrever o fonema /S/? O fonema(som) /S/ pode ser representado na escrita por diversas letras ou grafemas.
Após observar as regras gerais, recorte outros exemplos de revistas e cole-as abaixo de cada item:
S - No início das palavras e depois de consoantes.
Ex.: Saboroso, Seresta, penSativo, anSeio.
C - Antes de e ou i.
Ex.: Cidadania, Celeiro, Ciência, aCima, paCífico, paCiente, Cinema.
Ç - Antes do a, o e u (jamais no começo dos vocábulos, palavras).
Ex.: aÇúcar, aÇude, paÇoca, peÇa.
X - Antes do e e i (raramente), ou no final de sílabas.
Ex.: êXito,trouXe, peiXe, proXimidade, teXto, eXplicação, eXperiente.
Z - no final de palavra.
Ex.: paZ, faZ, atriZ, motriZ, feliZ.
O fonema /S/ também pode ser representado graficamente pelos dígrafos:
SS - Entre vogais.
Ex.: paSSado, paSSeio, poSSível, aSSar, paSSada, maSSa.
SC, SÇ - sempre dentro da palavra, jamais em início de vocábulo.
Ex.: naSCimento, creSCer, creSÇa, adoleSCente, piSCina.
XC -Só é usado em palavras iniciadas pela letra e.
Ex.: eXCelente, eXCesso, eXCeto, eXCipiente.
Escolha alguns dos exemplos que recortou e explique por que você acredita que essas
palavras têm essa grafia.

ATIVIDADE 11
A letra x apresenta vários sons, dependendo da palavra onde ela está. Até parece um camaleão.
Veja alguns exemplos:
X = S explicar / texto
X = Z exigiu
X = CH enxada
X = CS fixo
Pesquise, junto com um amigo, cinco palavras escritas com x que apresentam sons diversos:
X = S X = Z X = CH X =CS X = SS
Agora leia as palavras com a ajuda da professora.
Pesquise o significado das palavras que você não conhece ainda.
Escolha, com a ajuda da professora, quatro palavras da tabela para encontrar as palavras cognatas, como foi feito com a palavra experimento:
-Experimento – experimentar, experimental, experimentei, experimentou, experimentamos, experimentados.
Leia com atenção e observe que todas as palavras encontradas da mesma família de experimento são escritas com x. Agora faça você com palavras da tabela.

ATIVIDADE 12
1. Complete as frases com as palavras abaixo:
faxina - churrasco - lixo - caixote - engraxate - chácara
Chumaço - chá – caxumba - chaleira - chuva - encharca
a) No domingo, iremos a um ______________ na ______________ .
b) Preciso fazer uma _____________ no __________________ .
c) Jogue o ______________ de algodão no _______________ .
d) A ______________ ferve água para o _______________ .
e) O ______________ está com o___________________ .
f) A ____________ ________________ as roupas no varal.
2. Pesquise e escreva dez palavras com j e dez com g, em seguida, dê o significado.( Consulte o dicionário)

ATIVIDADE 13
Levar para sala de aula textos diversos (jornais, revistas, catálogos, etc.) para uma leitura de reflexão ortográfica, a fim de promover no aprendiz uma capacidade de olhar para o interior das palavras, tomando sua forma escrita não só como veículo de significado, mas como um objeto de conhecimento em si. A partir das leituras, realizar um ditado musical, um bingo ortográfico e a atividade lúdica: Soletrando. Ditado musical Nesta primeira atividade o professor coloca uma música para os alunos ouvirem fazendo pausas diversas, de modo que os alunos escrevam a última palavra ouvida, posteriormente são estimulados a discutir certas dificuldades ortográficas. Os alunos sabem que o ditado é para sanar as dúvidas e buscar as devidas regras de nossa língua materna, tendo em vista que é uma língua irregular e que precisamos ter atenção no momento da escrita.

Bingo ortográfico
Nesta segunda atividade a intenção é desenvolver no aluno a percepção visual e a escrita correta das palavras.
Os alunos, em grupos, deverão recortar figuras coloridas de objetos variados de revistas como, por exemplo, roupas, sapatos, óculos, frutas, animais, etc. Colar essas figuras em cartolina, formando trinta e seis fichas. Em uma caixa, papeizinhos dobrados com os nomes das figuras.
Distribuir as figuras entre os participantes e sortear os papéis com seus nomes. O aluno que estiver com a figura deve apresentá-la escrevendo a palavra no quadro e o aluno que estiver com a escrita da palavra fará a correção, marca ponto quem não errar a escrita.

Soletrando
O professor faz sorteio da palavra e os alunos, individualmente, devem soletrar. Os alunos que não obtiverem erros ortográficos vencem a competição, sendo premiados com brindes.

ATIVIDADE 14
BRINCANDO COM A LETRA

JUSTIFICATIVA:
Percebendo-se a dificuldade que o aluno tem para escrever , por falta de empolgação, interesse, prática e gosto pela leitura, o professor de Língua Portuguesa tem esgotado muitos meios como forma de despertar o interesse do educando por essas atividades em sua prática pedagógica..
Acredita-se que é possível despertar o interesse no aluno pela escrita através de brincadeiras iguais ao do “Brincado com o P”, postada na Internet. À semelhança desta, pode-se aplicar na ação pedagógica sugerindo além da letra “P”, outras letras tais como:
“F, H entre outras”.
Segundo Paulo Freire “...ninguém é superior a ninguém, muito menos em função dos saberes que cada um possui, pois não existe um saber melhor que o outro e sim saberes diferentes.”


OBJETIVO GERAL:
Estimular a prática da leitura e da escrita.

OBJETIVO ESPECÍFICO
O aluno deverá ser capaz de:
- Pesquisar as palavras de acordo com a letra sugerida.
- Anotar as palavras no caderno conforme a quantidade estipulada.
- Listá-las em colunas de acordo com a classe gramatical: substantivos, adjetivos, verbos etc.
- Conhecer a estrutura textual: dissertação, narração, descrição.
- Produzir um texto de acordo com a sua escolha de estrutura textual.
- Fazer a leitura oral em sala.
- Explorar o significados das palavras
- Lembrar que ‘A escrita é para ser lida”.
- Refazer o texto quanta vezes forem necessárias para aprimorá-lo.
- Usar apenas as conjunções, artigos, advérbio de negação, verbo (ser), preposições na produção do texto.

METODOLOGIA:
Primeiramente o professor lerá o texto BRINCANDO COM O P, para dar incentivo e esclarecimento a cerca da proposta desejada. A partir das palavras encontradas e listadas através da pesquisa, o aluno fará sua produção textual com o tema livre bem
como a estrutura desejada.
O professor deverá aproveitar todos os textos inclusive os pequenos e as histórias de interesse do aluno.


MATERIAL DIDÁTICO:
O aluno deverá ter acesso a vários matérias de pesquisa, livros, revistas jornais, caderno, lápis, borracha, caneta.

AVALIAÇÃO:
O professor avaliará por meio de produção de texto com leitura oral, onde todos os alunos deverão participar da escolha e apreciação dos melhores textos.
As produções escolhidas deverão ser rescritas após correção, fixadas no mural da escola ou encaminhadas ao jornal da cidade.
P. P. P. PARTIDO DA PROMOÇÃO PESSOAL
Pedro Paulo Pimentel Pereira, piauiense, professor, primeiro pesquisador e promotor em Políticas Públicas do Piauí, Pernambuco e Paraíba, profissional partidário do PPP (Partido da Promoção Pessoal), pessoa puramente prestativa, preocupado em promoções públicas, partiu de Petrópolis para Província do Porto - Portugal para participar do Planejamento das Propostas Políticas Pedagógicas do Pontifício Pio XXII, ao perceber o programa das propostas puramente políticas e não pedagógicas, permitiu-lhe parar, pensar nas possibilidades pertinentes à pedagogia. “Projetos de Parceria Pública à Pedagogia” um programa que passe de pessoas para pessoas e que possibilite proposta participativa periodicamente na prática pedagógica..
A palestra do parlamentar de Petrópolis provocou na Pátria Portuguesa, pouca possibilidade nas parcerias do programa, pressupondo-se para os presentes que as Propostas Políticas Pedagógicas passem à pesquisadores, pós-graduados, para posteriormente ao público.
Os profissionais pesquisadores em políticas públicas possam perceber a porção de paraplégicos que precisam participar dos Projetos Políticos Pedagógicos e Programas Paraolímpicos. “As pessoas não podem pagar o preço das perdas públicas por parlamentares não se permitirem participar de perto da pequena parcela que é posta à prova”, diz o Parlamentar Pimentel Pereira.Principalmente a “princesa das piscinas” Patrícia Pastori Pardinho de Paranaguá Paraná, psiquiatra, paraplégica por pandemia, tem o prazer dos primeiros passos na participação do programa do Promotor e Professor Pedro Paulo Pimentel Pereira que prevê para o próximo período, proteção aos paraplégicos e premiações nas participações paraolímpícas.
Portanto, a população precisa parabenizar o Presidente do país, pois o projeto foi primeiramente para o Planalto no papel e está pronto para pratica pedagógica.
Parceria da Petrobrás, PAC- Plataforma P52 (petróleo) e Pré-sal, com publicação no POPULAR. Não é um projeto provisório ou parado, mas um projeto pronto para produzir as principais promoções pessoais, possibilitando proximidade e permanência dessas pessoas em sua pátria, seu país, sem perder o ponto de partida, promoção e proteção pessoal.. Professora Eloiza Helena de Paula Dario

ATIVIDADE 15
BINGO ORTOGRÁFICO do M antes de P e B e do N
Material: cartelas confeccionadas pelos alunos, seguindo as instruções dadas pelas professoras.
Confecção das cartelas com 16 espaços em branco – através da dobradura do sulfite (dobra, marcando bem, sempre ao meio 4 vezes até obter 1 retângulo no tamanho aproximado de 7,5cm x 5cm); desdobra e, com o auxílio da régua, risca as marcas deixadas pela dobradura, totalizando 16 retângulos.
1. Mostrar cada palavra em papel-cartão para que todos as visualizem e as leiam coletivamente.
2. O professor irá fazer a leitura das palavras (sem mostrá-las) aleatoriamente e o aluno deverá registrá-la na cartela no espaço que ele mesmo tenha escolhido. Observar que o aluno não poderá escrever as palavras na sequência a fim de que as cartelas não fiquem iguais.
3. Depois de preenchidos os 16 espaços da cartela, começará o jogo. O professor terá as palavras escritas em cartões pequenos os quais irá embaralhar e iniciar o jogo.
25
4. Cada jogada se dará de uma maneira: horizontal, vertical, 4 cantos, em L, em U, em X, cruzada, etc.
5. O aluno só ganhará o brinde surpresa se, além de acertar a colocação das palavras na cartela, que também esteja correta a ortografia.
SONÂMBULO – DENTADURA – ASSOMBRAÇÃO – SEMPRE – DENTRO – TUMBA –DE REPENTE – EMBORA – ENFEITE – EMBAIXO – OMBRO – PENTE – POMBA –EMPADA – TEMPERO – IMPORTANTE

ATIVIDADE 16
Atividades ortográficas
1. Ditado de um trecho de textos já lidos na sala. A seguir os alunos trocam o caderno e fazem a correção, observando o texto original.
2. O professor deve ditar palavras já visualizadas durante as leituras e que possam oferecer dificuldades quanto ao emprego de ss, x , sc, ç e outros. Os alunos digitam e corrigem, com ajuda do professor e de dicionários, observando o texto original.
3. Pesquisa e cópias de palavras nas revistas que possam oferecer dificuldades ortográficas (uso do x, ss, sc , ç).
4. Busca de textos na internet sobre os assuntos estudados. A seguir, fazer a leitura dos mesmos e copiar algumas palavras que apresentam dificuldades ortográficas.
6- Palavra cruzadas.
7- Jogos da internet (caça-palavras).

Sugestões de Atividades para Correção Erros Ortográficos


Os erros podem ser identificados pelo tipo de palavras: regulares e irregulares
Morais (1998) propõe uma distinção entre as palavras regulares e irregulares, considerando as regulares como passíveis de compreensão das regras subjacentes à sua ortografia, enquanto os irregulares seriam aquelas que dependeriam da memorização para a sua escrita correta.
Os erros ortográficos de palavras irregularesdevem ser corrigidos nas séries iniciais do Ensino Fundamental (alfabetização) pela memorização contextualizada (dentro de um texto), nunca decorar listas de palavras; á partir das séries finais, a etimologia das palavras, inserindo o conhecimento de outras línguas das quais se originam já devem ser introduzidas.
Quanto à correção dos erros ortográficos de palavras regulares, é recomendável que o professor faça um mapa dos erros de cada aluno, antes de planejar o ensino da grafia correta, para que a ações pedagógicas alcances os objetivos nos planejamentos, e para esse mapa é importante assinalar como são discriminados os erros, e acompanhar a necessidade e o desenvolvimento de cada aluno e de toda a turma.
O mesmo autor considera a existência de três tipos de relações de regularidade ortográfica:

Regularidades diretas, nas quais cada letra corresponde a apenas um som e vice-versa, independente de sua posição na palavra, o que implica numa regularidade absoluta entre letra e som, como é o caso, no português brasileiro, das letras: p, b, t, d, f, v;
Regularidades contextuais, nas quais é possível antecipar a escrita correta levando-se em consideração a posição que determinada letra ocupa na palavra ou as letras vizinhas. Por exemplo, a nasalização da vogal que vier antes das letras p e b devem ser obtidas pelo uso da letra m, como em pomba e tampa, enquanto a letra n deve ser usada no restante dos casos, como em canto evocando; por fim, as.
Regularidades morfológico-gramaticaissão aquelas em que é necessário recorrer à gramática e, em particular, à morfologia, para obter a grafia correta de uma palavra. Por exemplo, a escolha entre o sufixo eza ou esa vai depender da categoria gramatical e de aspectos morfológicos da palavra em questão: caso seja um adjetivo pátrio, será escrita com a letra s(chinesa, portuguesa), mas, se for um substantivo derivado de adjetivo, a palavra deverá ser escrita com a letra z (realeza, beleza).
REGULARES DIRETOS – ERROS MORFOLÓGICOS
GRAMATICAIS

Aluno P/B T/D F/V S/Z S/C/SS
Andressa
Carlos
Diana X X
Fernando
Jefferson X X X

ERROS REGULARES CONTEXTUAIS

Aluno S/SS R/RR QU L/U M/N NH/LH/CH O/U E/I M/N/NH/ÃO
Cleide X x
Flávio x X
Geovana
Hebert
Matheus X X X X X
Pedro X X X
As sugestões de planejar atividades para a grafia correta após o mapa de cada aluno e no total da turma pode-se iniciar a critério do professor. Melhor que se comece pelos erros comuns á maioria dos alunos levando em conta qual a proposta da escola para série/ano. Ainda assim veja as sugestões de atividades:
Sempre trabalhando com textos: Leitura e Escrita
Contos recontos – escrita/reescrita (textos prontos – impressos / livro didático / literatura infanto/juvenil, parlendas, poemas, músicas, gêneros literários variados como crônicas, piadas…) – trabalhando autocorreção, consulta ao dicionário, correção coletiva (em casos de produções coletivas) correções individuais.
Sugestão de atividade através de um texto impresso (quando o professor quer trabalhar: NH/ÃO/N/M
Leitura – reprodução (Música) – transposição de verso em prosa (trabalhando aspectos textuais: parágrafo, pontuação…).
1º Passo – Texto individual impresso
São Francisco
Vinicius de Morais
Lá vai São Francisco
Pelo caminho
De pé descalço tão pobrezinho
Dormindo à noite
Junto ao moinho
Bebendo a água
Do ribeirinho.
Lá vai são Francisco
De pé no chão
Levando nada no seu surrão
Dizendo ao vento
Bom dia, amigo.
Dizendo ao fogo
Saúde irmão.
(Arca de Noé – Rio de Janeiro – José Olímpio)

2- O professor após fazer uma breve história sobre o personagem

Solicita aos alunos que façam leitura silenciosa;
Leitura oral coletiva;
Vocabulário (palavras desconhecidas);
Solicita a definição deste texto – poesia? (texto em versos - poético) -ou prosa (texto narrativo, dissertativo); lembrar as diferenças textuais de cada um;
Interpretação oral (professor faz perguntas e os alunos respondem de acordo com o texto lido).3 – Transcrição para prosa (texto narrativo: conto). Se for a primeira vez que os alunos vão realizar essa transcrição da estrutura do texto, o professor deverá fazer primeiro ou junto com os alunos na lousa, caso contrário cada um fará no seu caderno. Em qualquer situação o texto, agora em forma de conto, será transcrito no caderno.
4- Reconto – o professor solicita aos alunos que façam o reconto (produzir um conto baseado na história que foi lida, usando as palavras que estarão no banco de dados fixado na lousa):
BANCO DE PALAVRAS

*mesmo que o professor considere um trabalho demorado, é um trabalho que deve ser rotineiro em vários conteúdos de língua portuguesa e que dá excelentes resultados.
5- Leitura do reconto (deixar livre para que quiser ler em voz alta para a turma).
Solicitar a autocorreção através do banco de palavras; após a autocorreção solicitar que cada aluno indique quantas e quais palavras erraram (mesmo consultando o Banco de Palavras os alunos transcrevem errado), o professor vai trabalhar cada palavra que está no Banco e explicar as regras de cada “dificuldade” (erros ortográficos):
como exemplo: a nalização com o uso do:
N/M: Francisco, bom, junto, vento, levando, junto…
ÃO – São, chão, surrão, irmão pode, aqui, surgir a dúvida do ÃO ou AM -Subsídio para o professor:
A pronúncia é feita como se houvesse um acento gráfico na penúltima sílaba, que é a sílaba tônica, a mais forte: quando se usam:
AM: cantam, rasgam, lavam
Nas palavras com ÃO - palavras terminadas em "ão", em sua maioria, são oxítonas: (e se assim não o forem, receberão uma acentuação adequada:
órgão, órfão, acórdão, sótão, bênção... porque aí elas são paroxítonas).
NH – são duas letras que representam um mesmo som.
6 - Ilustração -
7 – Cantar (se o professor não conhecer a melodia leve o CD de áudio e surpreenda os alunos com o texto que no final, é uma música, eles vão curtir).
Outras variações –

Ditado das palavras contextualizadas, correção, uso do dicionário, formação de frases com as palavras do ditado.
Produção de texto coletivo – correção coletiva – propor que as crianças expliquem porque cada palavra tem a grafia correta (ensinada pelo professor) deixando que ela com suas palavras criem as regras de acordo com o entendimento que tiveram. Anotem as regras no caderno.
Bingo de imagens (que contenha as palavras que os alunos estão encontrando dificuldades na grafia) –
Palavras Cruzadas, Caça – palavras (sempre com palavras que necessitam da grafia correta e que estejam contextualizadas na leitura, na produção de texto.

Contos de Fadas: o professor lê, os alunos fazem o reconto, correção consultando o livro de histórias – é preciso que o professor tenha no mínimo 4 edições iguais –para pesquisa em grupos (onde eles vão pesquisar a grafia correta), depois – reescrita do texto;

Placas, letreiros, avisos que contem erros ortográficos, na comunidade (pesquisa dos alunos que trarão para a sala de aula e farão a correção ortográfica – esta atividade vai despertar o interesse pelas grafias corretas- leitura).
Leitura, muita leitura;
Estas atividades podem e devem ser usadas desde que as palavras estejam contextualizadas.




Por estas sugestões, o professor pode usar sua criatividade e desenvolver novas atividades de acordo com seu planejamento. No caso de alunos com dificuldades em outros grupos de dificuldades, diferente do grupo que o professor planejou para a maioria da turma, ele deve dispor de atividade diversificada.
Não esquecendo que o mapa inicial é a base, e guardar os textos produzidos são o norte do desenvolvimento e avanço, inclusive avaliação.
Erros de ortografia tem que ser trabalhados pelos grupos, o que não pode acontecer é, no final do ano, reprovar um aluno porque “escreve muito errado”.
Por:
Júlia Virginia de Moura- Pedagoga
Fonte de Pesquisa:
Morais, Artur Gomes de. Ortografia: ensinar e aprender. Editora Ática, 1998, 128 p
Gramática Didática da Língua Portuguesa – Hermínio Sargentim –IBEP
Língua Portuguesa – Solução para dez desafios do professor – Rana e Augusto – Edit. Ática
FONTE: http://soatividadesparasaladeaula.blogspot.com.br

Jogos na Psicogênese – Uma Proposta de Interferência em cada Nível–atividades lúdicas

“O desenhar e brincar deveriam ser estágios preparatórios ao desenvolvimento da linguagem escrita das crianças. Os educadores devem organizar todas essas ações e todo o complexo processo de transição de um tipo de linguagem escrita para outro. Devem acompanhar esse processo através de seus momentos críticos até o ponto da descoberta de
que se pode desenhar não somente objetos, mas também a fala.” (Vygotsky, 1987, p.134).
Jogos na Psicogênese – Uma Proposta de Interferência em cada Nível- em formação continuada aos professores da CREP- Planaltina-DF, bastante concorrida na procura de diversificação das práticas pedagógicas, foi realizada pela pela Especialista em Educação e Psicopedagogia Márcia Aparecida Vieira-SEE/DF .
Durante a Oficina, a Professora Márcia Aparecida, fez uma demonstração dos diversos jogos que podem ser usados nos níveis da psicogênese, com objetivos definidos não só do avanço nas hipóteses, como oportunizar, através do lúdico, vários momentos ao aluno de repensar sua escrita. Os jogos , de acordo com a professora e psicopedagoga, são ferramentas pedagógicas que mais possibilidades oferecem aos alunos em construir o conhecimento, principalmente na aquisição da escrita e da leitura, pois são significativos, divertidos, levando-se em conta que vários aspectos do desenvolvimento da psicomotricidade e do comportamento social são alcançados: atenção, concentração, coordenação motora, lateralidade, estrutura espacial assim como regras, limites, e valores.

Nível Pré-Silábico

Neste nível da Psicogênese um dos jogos mais importantes,
(ou qualquer outro similar) é trabalhar com os sons da letras. Sons Iniciais e Sons Finais. Através destes jogos ou de atividades em que se usa miniaturas, imagens… o aluno vai construir o conhecimento de que na escrita há uma relação entre letra e som, entre grafema e fonema. È importante a percepção fonológica na escrita, pois a aquisição deste conhecimento vai ser transposto na construção de novas palavras, e no avanço para outros níveis. Foi lembrado que nem todos os jogos devem ser comprados prontos, mas podem ser confeccionados pelo professor.

Nível Silábico

A sonoridade das letras é um jogo que pode seguir os níveis pré-silábico, silábico e silábico/alfabético. O professor ao trabalhar neste níveis, de acordo com a professora Márcia, deve da muita ênfase na pronúncia das palavras, aproximando muito do “fônico”, trabalhando muito a postura do corpo, também. O jogo encaixe letras/figuras vai de forma lúdica levar o concreto para o abstrato, em que o aluno vai relacionar som/imagem, o que neste nível da psicogênese é importante para que o aluno avance na construção das hipóteses.

No nível silábico/alfabético, recomenda-se os Jogos “Batalha de Palavras” e “Letra Letra”.Neste nível, os alunos necessitam perceber que as palavras tem um determinado número de letras. Da mesma forma que que ele, nesta hipótese já avançou na construção do conhecimento da sonoridade, dos sons iniciais, sons finais, a descoberta de quantas letras ele vai usar na palavra que quer registrar, é fundamental para que possa passar ao nível alfabético, sem disparidades.
Nível Alfabético .

Neste estágio, o aluno já compreendeu o sistema de escrita, entendendo que cada um dos caracteres da palavra corresponde a um valor sonoro menor do que a sílaba e também domina as convenções ortográficas.
Quando o aluno vem avançando nas hipóteses, através de jogos, de atividades escritas como produção de textos ( com rimas, parlendas, quadrinhas e etc.) reconto coletivo, autocorreção e correção coletiva, no nível alfabético ele vai brincar com mais autonomia com letras e palavras. E a sugestão de jogos para este nível: Troca Letras ( quando vai construir, destruir e reconstruir novas palavras através de novas descobertas);
É o momento em que vai surgir a aglutinação de palavras, por exemplo: ogatocomeuorato. E uma atividade excelente para que o aluno desenvolva a escrita correta, além dos ditados de frases, ou palavras e muita leitura(textos de pequena ), uma sugestão excelente de atividade , é atividade escrita o impresso e ilustrado), em que todo o texto vem com as palavras aglutinação, o professor faz a leitura, depois lê com os alunos e depois da descoberta de que as palavras estão grudadas, ( O professor faz as duas leituras: pausada e aglutinada), os alunos vão separar as palavras como no modelo:

Desenvolvendo a leitura e a escrita, produções, recontos, através de pequenos textos ilustrados(imagens, fotos, gravuras que sejam significativas de acordo com a vivência ou do imaginário, e o conhecimento prévio dos alunos.


Finalizando, a professora Márcia, falou da importância do lúdico na aprendizagem, e que os resultados de sucesso da alfabetização tem na ludicidade uma ferramenta , que a princípio pode parecer que demanda muito trabalh0 por parte do professor, mas que se ele desde o início, adota esta prática com sua turma as dificuldades em coordenar as atividades vão fazendo parte, naturalmente, da rotina da sala de aula.
Esta foi uma das oficinas que participei e que com certeza trouxe uma prática diversificada não só para a alfabetização em si, mas especificamente na avaliação não só dos alunos, mas na própria avaliação do trabalho do professor, quando pode-se questionar se suas ações pedagógicas estão avançando ou não e como fazê-las avançar, além da base que os níveis da psicogênese dá ao planejamento ao professor.
Por: Júlia Virginia de Moura – Pedagoga
FONTE:http://soatividadesparasaladeaula.blogspot.com.br

Nenhum comentário:

Follow by Email

Pesquisar este blog

Carregando...